Reforma da Previdência aprovada na Comissão Especial

Por 36 votos a 13, o texto-base do parecer do deputado Samuel Moreira (PSDB-SP), favorável à Reforma da Previdência de Bolsonaro (PEC 6/2019), foi aprovado em 4 de julho na Comissão Especial da Câmara dos Deputados.

Esta aprovação covarde e descabida – que fará o texto seguir ao plenário da Câmara, onde precisará de pelo menos 308 votos em dois turnos para ir ao Senado Federal – demonstra um verdadeiro descompasso com a situação do país: os pobres ficarão mais pobres e os ricos mais ricos se essa Reforma passar.

Sob a mentira de “combater privilégios”, estão vedando a população pobre dos seus direitos à aposentadoria e à seguridade social!

Mesmo com as mudanças feitas em relação ao texto original de Paulo Guedes – como as do Benefício de Prestação Continuada (BPC); da negação à desconstitucionalização; e da retirada do regime de capitalização) – a proposta de Reforma segue eivada de “meias verdades”, podendo levar o trabalhador à sua completa ruína.

O Brasil tem hoje cerca de 60% dos seus aposentados recebendo um salário mínimo e 86% recebendo até três salários mínimos, com altos índices de desemprego – o que torna a renda dos aposentados um sustento para famílias inteiras! Se pautando num modelo tributário que penaliza apenas os mais pobres, essa Reforma de Bolsonaro, juntamente com o que já se implementou em governos anteriores, nos levará em pouco tempo à retomada do regime escravocrata.

Agora, mais do que nunca, é momento de ir às ruas e à luta contra a Reforma da Previdência!

10 de julho, às 10 horas: Ato do Fonasefe em Brasília-DF (Anexo II da Câmara)

12 de julho, às 10 horas: Grande Ato da Educação em Brasília-DF (concentração no Museu Nacional)

Mais sobre a Reforma da Previdência:

*Texto escrito pelo plantonista de base Ricardo Eugênio para o Boletim do SINASEFE nº 603.