Reforma AdministrativaNotícias

A estabilidade é a garantia de um servidor comprometido com o público, não com o político

Não é à toa a Reforma Administrativa (PEC 32/2020) de Paulo Guedes e Jair Bolsonaro, que está em trâmite na Câmara dos Deputados, retira a estabilidade dos servidores públicos e aumenta os cargos por indicação. Em menos de dois dias, o seu Ministro (da destruição) do Meio Ambiente pede demissão e Bolsonaro se vê envolvido em um grande escândalo de corrupção relacionado à compra de vacinas.

Essas denúncias aconteceram por um motivo: o servidor público é independente, tem estabilidade e autonomia.

A PEC 32/2020 que o Governo Federal quer aprovar vai atrapalhar o trabalho dos funcionários públicos, legalizando a perseguição política que hoje já existe.

Se você é contra a corrupção, diga não à Reforma Administrativa!