Notícias

Campanha de Solidariedade de Classe: saiba como participar!

O SINASEFE acredita que “todas as vidas importam” e sempre defenderemos “a vida acima dos lucros”, o que inclui políticas de Estado para que as pessoas que trabalham em setores não essenciais possam permanecer em isolamento, garantindo que:

  • não passem fome;
  • possam ficar em condições adequadas;
  • tenham acesso à água, luz, materiais de limpeza e higiene, de prevenção e medicamentos.

Já aos que trabalham nos setores essenciais, exigimos políticas de Estado que garantam condições de trabalho, medidas de segurança, que incluem treinamento e EPIs, para que possam atuar com segurança, protegerem a si e suas famílias da contaminação. Especialmente os profissionais da saúde que, em sua grande maioria, são mulheres, servidores públicos ou trabalhadores terceirizados que estão na linha de frente dessa guerra contra a COVID-19.

Ainda assim, o SINASEFE entende que ninguém que tenha condições deve se omitir de dar a contribuição que puder nas condições de vida (enfrentando a fome, a falta de medicamentos e de materiais de higiene e limpeza) e contribuindo no enfrentamento direto à pandemia (produzindo estudos, equipamentos como EPIs, respiradores e insumos como máscaras, álcool em gel, entre outros).

Orientações às seções sindicais

  1. Em todas as atividades, inclusive no trabalho de solidariedade do SINASEFE, deve estar presente o recorte de classe, afinal, estamos numa campanha para salvar a vida da classe trabalhadora, do povo pobre e, para isso, é fundamental que nossa intervenção esteja ligada, pari passu, a uma campanha de conscientização de classe, para derrotarmos o governo Bolsonaro e Mourão e nos construirmos como alternativa. Dessa forma, não apoiaremos a caridade feita pela direita, vertical, fruto da exploração dos trabalhadores, e que costuma ser usada para a criação de currais eleitorais. Devemos priorizar iniciativas associadas ligadas aos movimentos sociais e populares.
  2. Devemos adotar uma política de exigência aos reitores, diretores de campi e gestores em geral das Instituições da nossa Rede que, em trabalho voluntário, se coloquem a serviço do combate à COVID-19, priorizando a fabricação de produtos que possam contribuir para a proteção dos trabalhadores que estão na linha de frente no combate à pandemia, bem como produtos que ajudem o povo pobre das periferias, favelas e moradores de rua a se protegerem da COVID-19 e suas consequências. Entretanto, o dinheiro dos sindicalizados não deve ser remetido para financiar atividades institucionais, mas sim, deve ser usado para contribuir com insumos para essas iniciativas, desde que sejam repassados à população e trabalhadores da saúde. Orientar os jornalistas a fazerem uma forte campanha de divulgação para mostrar os trabalhadores da Rede nesta Campanha de Solidariedade. O sindicato pode se envolver com a gestão para ações de combate à pandemia, desde que seja dentro de princípios.
  3. Engajamento nas ações de solidariedade de classe que estão sendo desenvolvidas em comum com outras organizações sindicais e movimentos sociais. Essa iniciativa deve ser perpassada pelo trabalho político de valorização das políticas públicas, dos servidores e serviços públicos e do combate ao governo e aos nossos inimigos de classe, como banqueiros e grandes empresas e partidos e políticos que defenderam, defendem e implementam as medidas de retirada de direitos e desmonte das políticas públicas, como o teto dos gastos (EC nº 95/2016), a Reforma Trabalhista (lei nº 13467/2017) e a Reforma da Previdência (EC nº 103/2019). Um exemplo simples seria o de que, junto com uma cesta básica, seja colocado um panfleto, debatendo o desmonte da saúde pública e a importância do Sistema Único de Saúde (SUS).

Observações

  1. As seções sindicais que estiverem participando de Campanhas de Solidariedade de Classe nas suas regiões poderão solicitar apoio financeiro ao SINASEFE NACIONAL.
  2. Foi aprovado, em reunião da Direção Nacional (DN) do SINASEFE, o repasse de até R$ 5 mil por mês para as seções sindicais que solicitarem o apoio e estiverem em conformidade com os critérios políticos definidos e citados nas orientações acima.
  3. A DN formou uma Comissão de Solidariedade, composta por cinco membros indicados pelas chapas que compõem a diretoria colegiada e incluindo os membros da Coordenação de Administração e Finanças (CAF), que avaliará semanalmente as solicitações das seções sindicais. Portanto, é importante que as seções encaminhem suas solicitações para o e-mail dn@sinasefe.org.br até o 10º dia de cada mês, para que sejam atendidas dentro do prazo estipulado pela DN.

Conteúdo relacionado

instagram default popup image round
Follow Me
502k 100k 3 month ago
Share