Notícias

Governo confirma cortes orçamentários na Educação e destina recursos para créditos rurais

Divulgada no último dia 23/06, a Portaria nº 5.649/22, da Secretaria Especial do Tesouro e Orçamento do Ministério da Economia, cancelou programas no Colégio Pedro II, no Ines, no IBC, nos Cefets (RJ e MG), nos IFs e em várias universidades. A mesma portaria que corta do orçamento da Educação destina recursos, mais de R$1 bilhão, para pagamentos de programas rurais.

A publicação desta medida é a confirmação dos cortes já anunciados em maio: os recursos cancelados já foram retirados definitivamente das contas das instituições da educação. A perda total é de R$ 437 milhões para as universidades e R$ 184 milhões para os institutos.

Repúdios e críticas

O SINASEFE reforça seu repúdio aos cortes orçamentários na Educação e seguirá denunciando todas as medidas destrutivas do governo federal que ameaçam concretamente a existência da Rede Federal de Educação. O projeto educacional defendido pelo SINASEFE passa tanto pela ampliação do financiamento às instituições, quanto pela valorização e melhoria das condições de trabalho de seus trabalhadores(as) e pela urgente ampliação do acesso, permanência e êxito dos estudantes.

Diversas entidades também se posicionaram diante da confirmação dos cortes. O Conif divulgou um vídeo curto comentando a medida, destacando que a notícia de mais um corte causou indignação nas comunidade acadêmicas. Assista aqui ao vídeo.

“Este é um total descaso e desrespeito com a comunidade acadêmica do IFPI. Coloca-se em risco com estas medidas, o futuro de milhões de jovens atendidos pelo IFPI e o sucateamento da nossa Instituição prejudicando assim o funcionamento das nossas unidades […]. É urgente que a sociedade e os parlamentares da bancada federal reajam a esta medida”, criticou o reitor do IFPI, Paulo Borges. A crítica foi publicada no Portal Cidade Verde.

A Universidade da Integração Internacional da Lusofonia Afro-Brasileira (Unilab) divulgou nota expondo os impactos dos cortes orçamentários na instituição.

O Sindicato dos Professores das Universidades Federais de Santa Catarina (Apufsc) divulgou nota do Conselho Universitário da UFSC, que denuncia o corte e cobra mobilização de parlamentares catarinenses.

Conteúdo relacionado