Trabalhadores da educação no combate à pandemia: Guilherme Walter

Compartilhar

Diante da negligência do governo Bolsonaro, o Brasil já registra mais de 210 mil casos de COVID-19. Ao mesmo tempo que o vírus se espalha, avançam também as ações de solidariedade de classe entre os trabalhadores. Desde o início de abril, o SINASEFE lançou uma campanha de solidariedade . O objetivo é contribuir com proteção de trabalhadores que estão na linha de frente no combate à pandemia e também que ajudar o povo pobre a se proteger da COVID-19 e de suas consequências. A campanha também prevê a divulgação da participação de trabalhadoras e trabalhadores nas iniciativas solidárias.

Trabalhadores em ação
Já publicamos a história de duas pessoas que trabalham na Rede Federal de Educação e estão envolvidas no combate à pandemia: Héber, do IFPE, e Sílvia, do IFMG. Conheça nesta sexta-feira (15/05) mais um relato de solidariedade.


Guilherme trabalha com a produção de EPI
Guilherme de Oliveira Walter é técnico de laboratório, na área de automação. Ele tem  28 anos e trabalha na Rede Federal há um ano e meio. Graduado em Engenharia Civil, ele está cursando mestrado em Engenharia das construções. Além de trabalhar no campus Ouro Preto, do IFMG, ele já foi estudante da mesma instituição.

SINASEFE – Ao mesmo tempo que a pandemia assola o mundo, também crescem as iniciativas de estudiosas(os) e trabalhadoras(es) para contribuir com a prevenção, tratamento e possível cura da doença, além de combater seus efeitos. Quando e como você começou a participar das ações neste sentido em seu local de trabalho? Foi uma ação voluntária?

Guilherme – Quando o isolamento social se iniciou, acredito que todos nós, do grupo, ficamos com um sentimento de necessidade de ajudar quem estava na linha de frente dessa luta. Inicialmente, em 25/03, a ideia surgiu de conversas entre professores e técnicos do departamento de Automação, já que iniciativas como essa estavam sendo realizadas ao redor de todo o mundo. O projeto tomou forma quando a mesma iniciativa surgiu em outros campi do IFMG, e foi realizado um esforço para apoiar todos esses projetos com a compra de materiais e troca de ideias entre os envolvidos. Como alguns de nós possuem impressoras 3D em casa, iniciamos os trabalhos a partir daí, com materiais próprios.

SINASEFE – A produção de Equipamentos de Proteção Individual (EPI), álcool em gel e produtos de limpeza estão entre as principais ações desenvolvidas por trabalhadoras(es) para enfrentar a pandemia. É possível contar um pouco a atual dinâmica destas atividades em seu local de trabalho?

Guilherme – Devido a quarentena, optamos por realizar os trabalhos de casa, evitando assim o risco de contaminação. Mas quando precisamos realizar algum trabalho no campus, no máximo duas pessoas por vez vão, e utilizamos equipamentos de proteção. Com o decorrer do projeto, mais pessoas da região que possuem impressoras 3D se juntaram ao grupo e, atualmente, contamos com oito impressoras trabalhando 24 horas por dia.
Cada suporte do protetor facial (impresso em 3D) leva em média 1h30 a 2h para ficar pronto. Após a impressão, colocamos o elástico e o acetato. O acetato é cortado a laser pela empresa Gaia em Mariana, que faz esse serviço de maneira gratuita para ajudar o projeto.
Ao mesmo tempo em que produzimos os protetores, uma outra parte da equipe está em contato permanente com as prefeituras de Mariana e Ouro Preto para estar sempre em dia com as demandas.


SINASEFE – Trabalhadoras(es) da educação, além de enfrentar a pandemia, lutam contra ataques cotidianos por parte do atual governo: falsas acusações, perseguições, atentados à democracia da Rede e retirada de direitos se acumulam por todo país. Ao participar desta ação num momento tão delicado, seu esforço enquanto trabalhador(a) contribui ainda mais com a sociedade. Qual mensagem gostaria de enviar para nossos leitores? 

Guilherme – Em um momento tão difícil quanto esse, devemos mais do que nunca permanecer pautados pela ciência em nossas ações. Diante dos constantes esforços de sucateamento de nossas instituições, devemos ser parte de um esforço para que os impactos sejam os menores possíveis. As Instituições Federais de Ensino mostram nesse momento, ao redor de todo o país, a sua importância.

Distribuição de material para a Secretaria de Saúde de Ouro Preto-MG

Somos feitos de histórias de lutadoras e lutadores
Você também trabalha na Educação Federal e participa de ações de solidariedade de classe? Gostaria de contar sua história? Escreva para a Assessoria de Comunicação do SINASEFE: comunica.sinasefe@gmail.com e/ou imprensa@sinasefe.org.br ou envie mensagem via WhatsApp/Telegram: (61) 98281-0168

Leia também:

Com apoio do SINASEFE, equipe do IFMG produz e distribui protetores faciais a hospitais e profissionais da saúde (Sinasefe IFMG)

Conteúdo relacionado