NotíciasPolítica

Vitória da democracia no Cefet-RJ: diretor eleito em 2019 é finalmente nomeado

A comunidade do Centro Federal de Educação Tecnológica Celso Suckow da Fonseca (Cefet-RJ) comemora, nesta quinta-feira (25/03), a vitória da democracia na instituição. O diretor-geral eleito em 2019, Maurício Saldanha Motta, foi finalmente nomeado para exercer sua função na escola, com mandato de quatro anos. O SINASEFE e o Sindicefetrj denunciaram a intervenção desde seu início, e seguem defendendo o respeito à democracia na Rede Federal e a nomeação de todos gestores eleitos.

Clima insustentável
“Desde que o diretor-geral eleito foi impedido de ser empossado no cargo, quando o MEC interveio na direção geral, o clima no Cefet-RJ ficou insustentável. Uma verdadeira dança das cadeiras ocorreu, rendendo numerosos assédios e perseguições. Houve má gestão de recursos e verbas consideráveis não foram utilizadas” destaca o coordenador geral do Sindicefet-RJ, Leonardo Carretta.

Comunicação, diálogo e transparência
“Hoje o que celebramos não é o ‘fim dos problemas institucionais’, mas sim a vitória da democracia, uma importante vitória sobre um governo genocida que já ceifou 300 mil vidas só com a COVID-19. A resistência contra a intervenção no Cefet-RJ valeu a pena” defende Leonardo.
As expectativas para o próximo período no Cefet-RJ também foram reforçadas pelo dirigente. “O meu desejo é que haja uma boa gestão, com mais comunicação e diálogo com os servidores, mas principalmente, maior transparência com a comunidade e novos ares para respirar.
Leonardo lembra ainda a luta geral em defesa da democracia na Rede Federal. “Deixo aqui também meus votos de força para os companheiros do IFSC que ainda estão sob intervenção. Com muita luta e resistência derrotaremos esses fascistas que estão no governo” ressalta Carretta.

Posse prevista para esta quinta
Agradecendo o apoio do SINASEFE, Maurício Motta informou que os procedimentos administrativos para sua posse estão em andamento. “A expectativa é que a posse ocorra ainda hoje (25/03). É o compromisso que o gabinete do MEC fez, mesmo que remotamente. Assim poderemos assumir efetivamente a instituição”, explicou o diretor-geral nomeado.

Manifestação contra a intervenção (foto de 2019)

Histórico
Em abril de 2019 a comunidade escolar do Cefet-RJ elegeu Maurício Motta, com 23,75% dos votos válidos, para diretor-geral da instituição. Em 16/08/19, o MEC, por meio da Portaria 1459/2019, nomeou Maurício Aires Vieira como interventor para exercer o cargo de diretor geral pro tempore, desconsiderando a eleição que elegeu Maurício Motta para o cargo.
No dia em que foi ao Cefet-RJ para atuar como diretor geral (19/08), o interventor foi recebido com um ato dos estudantes, que não aceitaram o golpe institucional do MEC o expulsaram da instituição de ensino.
Atropelando novamente o processo eleitoral, o MEC nomeou, dia 24/10/19, um novo interventor para a instituição, Marcelo Nogueira, que até então era o ‘vice-diretor interventor’.
Em agosto de 2020 uma decisão liminar determinou a nomeação de Maurício Motta. Infelizmente a liminar foi derrubada em seguida, após recurso da AGU.
Em dezembro de 2020, Maurício Motta e demais gestores eleitos e não empossados, estiveram em Brasília-DF para defender a democracia na Rede Federal e exigir as nomeações dos escolhidos pelas comunidades escolares.

Vitória recente e desafios
Em dezembro de 2020, após um ano de sua eleição e sob muita luta, José Arnóbio foi nomeado reitor do IFRN. Mas, infelizmente, no âmbito da Rede Federal, o IFSC ainda enfrenta intervenção do MEC: a comunidade luta desde abril de 2020 para empossar o reitor eleito: Maurício Gariba Júnior.

Veja também
Fenet comemora a nomeação de Maurício Motta (Facebook)

Conteúdo relacionado