Vitória da mobilização! Consup do IFSC rejeita o Future-se

Compartilhar

A decisão pela não adesão ao programa foi aprovada após grande mobilização dos alunos, que ocuparam a reunião do Consup com cartazes e palavras de ordem, logo após a assembleia estadual do movimento estudantil, realizada no início da tarde, no Câmpus Continente, ao lado da Reitoria.

O Conselho Superior do IFSC, órgão deliberativo máximo da Instituição, aprovou no último dia 16/9 a rejeição ao Future-se, o Programa Institutos e Universidades Empreendedoras e Inovadoras, apresentado em julho pelo MEC e que, em linhas gerais, propõe a privatização do ensino superior público no Brasil. Além de dizer não à proposta do governo federal, os Conselheiros aprovaram ainda a assinatura da carta dos estudantes e a elaboração de um novo documento, contendo a posição oficial do IFSC sobre o Future-se e informações detalhadas sobre a situação do Instituto após o corte de verbas imposto pelo Ministério da Educação.

A decisão pela não adesão ao programa foi aprovada após grande mobilização dos alunos, que ocuparam a reunião do Consup com cartazes e palavras de ordem, logo após a assembleia estadual do movimento estudantil, realizada no início da tarde, no Campus Continente, ao lado da Reitoria.

A assembleia, que contou com a participação de cerca de 300 estudantes, representando 18 Câmpus do IFSC, tinha como principal objetivo construir uma articulação estadual em defesa da instituição e contra os cortes orçamentários e o Future-se. A professora Elenira Vilela, diretora da Seção Sindical do Sinasefe, participou da atividade, abordando os principais pontos do programa apresentado pelo MEC. Participaram também da assembleia, o egresso do IFSC e mestrando na UTFPR, Emmanuel Luiz Silva, que tratou da autonomia da instituição, e o Diretor de Administração do Campus Florianópolis Centro, Aloísio Silva Júnior, que explicou o impacto dos cortes de verbas e as mudanças nas formas de financiamento no Instituto. A diretoria do Sinasefe IFSC manifestou apoio e parabenizou a mobilização e organização dos estudantes, pela “postura fundamental na luta por uma educação pública, gratuita, laica e de qualidade, diante de um governo declaradamente inimigo da educação”.

Durante a ocupação da reunião do Consup, o representante do movimento Resistência Estudantil Contra os Cortes na Educação (RECCE) e estudante do IFSC Criciúma, Filipe dos Santos, leu a carta aprovada pelos alunos, com posicionamento contrário ao Future-se. Ele também registrou protesto contra a postura da Reitoria do Instituto que, segundo relato dos próprios estudantes, teria tentado boicotar a vinda dos alunos para a assembleia, inclusive com ameaças de punição contra servidores que teriam permitido a realização da atividade estudantil no Centro de Eventos do Câmpus Continente.

A Reitora do IFSC, Maria Clara Kaschny Schneider, negou que tenha dado qualquer orientação nesse sentido e com esse propósito. Ela pediu aos alunos que relatassem por e-mail eventuais ameaças ou ações que tivessem como objetivo dificultar ou impedir a mobilização dos estudantes. “A gente manda sim, pro seu e-mail, mas para quê, para mais gente ser punida?”, respondeu uma estudante, que ainda acrescentou: “nós não precisamos de aval de gestão nenhuma para nos organizar, nosso movimento é autônomo, e se o patrimônio do Instituto Federal pode ser proibido para os estudantes do IFSC, a gente realmente não sabe qual o objetivo da instituição existir”.

A reunião do Consup teve transmissão ao vivo pelo Youtube. As duas partes estão disponíveis na íntegra aqui (parte 1) e aqui (parte 2). A Seção Sindical também editou um vídeo mais curto com a manifestação da representação estudantil e a mobilização dos estudantes durante a reunião, que você pode conferir aqui.

(Matéria elaborada e divulgada originalmente pela Assessoria de Comunicação do SINASEFE Seção Sindical IFSC)