20/11: Dia da Consciência Negra

Compartilhar

Dizem que hoje, 20 de novembro, o Dia é da Consciência Negra, mas o presente que recebemos é uma placa quebrada na Câmara dos Deputados que faz alusão justamente a essa data.

Experimente ser negro, andar em uma loja e ser acompanhado por seguranças.

Ou, na favela, um tiro te procura e te mata.

No asfalto, 80 tiros de fuzil.

Bem-vindo e bem-vinda ao que significa ser preto no Brasil.

A dita libertação que recebemos foi um convite para a alforria da exploração, pois mulheres pretas continuam ganhando menos que mulheres brancas; homens pretos continuam ganhando menos que homens brancos; e, segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), conseguimos ser maioria pela primeira vez nas universidades públicas. Primeira vez apenas agora, em 2019.

Observemos quanto tempo já se passou da “descoberta do país” até a chegada a esse dado. São 519 anos!

Quantos irmãos e quantas irmãs morreram nos navios negreiros?

Quantos se jogaram no mar porque não queriam ser escravos?

Quantos morreram de fome porque as correntes do racismo estavam lá?

O Dia da Consciência Negra é um Dia de Luta. Os números que nos cercam mostram isso.

Neste 20 de novembro, a Coordenação de Combate às Opressões do SINASEFE conscientiza as bases do sindicato sobre a necessidade de combater o racismo e a importância dessa luta – que se faz central entre as bandeiras e reivindicações do SINASEFE.

Vivas aos pretos e pretas orgulhosos e orgulhosas!

Vivas à cor, à identidade cultural e à raiz desse país, que é negra, indígena e solidária!

Vivas à população negra e lutadora desse país, que está sempre pronta para combater os ataques de governos, patrões e elites mesquinhas e para resistir ao racismo, ao fascismo e à intolerância.

Conteúdo relacionado

Homenagens anteriores