Estudantes e trabalhadores protestaram contra o Future-se

Compartilhar

Na manhã desta quarta-feira (17/07), enquanto o ministro da Educação, Abraham Weintraub, apresentava à imprensa o programa Future-se, que, na prática, representa o que há de mais retrógrado no financiamento da Educação Pública, uma manifestação de estudantes e trabalhadores ocupou a entrada do Inep – local onde Weintraub fazia a apresentação.

O Future-se tem como principal objetivo retirar do Estado a responsabilidade pela Educação Pública e entregar os frutos da ciência e da pesquisa das Universidades e Institutos Federais à iniciativa privada, tirando da sociedade o direito de usufruir gratuitamente desse conhecimento. Para isso, as IFEs vão criar fundos patrimoniais com “doações” de empresas ou ex-alunos. Esses fundos vão financiar pesquisas e investimentos a longo prazo, ou seja, a pesquisa acadêmica estará subordinada aos interesses do mercado.

Resistência

Cerca de 100 manifestantes do Andes-SN, ANPG, CNTE, Fasubra, Fenet, Proifes, SINASEFE, Ubes e Une estiveram na manifestação e, com cartazes, cantos e palavras de ordem, demonstraram que haverá resistência à tentativa do governo Bolsonaro de privatizar a Educação Federal. Um Manifesto assinado pelas nove entidades foi distribuído.

Desde o início da mobilização, a Polícia Militar esteve presente com forte contingente, impedindo que qualquer pessoa entrasse no prédio. Quando a comitiva de carros do ministro da Educação saiu do Inep, vários PMs cercaram os manifestantes, impedindo que se dirigissem e explicassem suas pautas para o atual chefe do Ministério da Educação (MEC).

O Future-se está em fase de consulta pública até o dia 7 de agosto. Segundo o MEC, a iniciativa é voluntária: Universidades e Institutos Federais poderão aderir ou não a esse modelo de financiamento. Porém, o programa surge num cenário de corte de verbas e de vigência da EC 95/2016, o que pode forçar as IFEs à adesão para não fecharem as portas.

Imagens

Confira abaixo nossa galeria de fotos do ato de hoje (17/07) contra o Future-se:

*Com informações do Sinasefe Brasília-DF