Reforma AdministrativaNotíciasPolítica

Tragédia: Brasil ultrapassa 270 mil mortes por COVID-19

Em 17 de março de 2020 o Brasil teve sua primeira vítima fatal da COVID-19. 360 dias se passaram e o país contabilizou, nesta quarta-feira (10/03), 270.656 mortes – sendo 2.349 óbitos apenas nas últimas 24 horas.

Um número assustador, que chega a mais de 10% do total de mortes em todo o planeta.

E enquanto essas mais de 270 mil famílias em luto sofrem, muitas sem ter sequer o direito de sepultar seus entes queridos, o Presidente da República segue fazendo pouco caso da crise humanitária por qual passa o país e continua não trabalhando com seriedade pela aquisição de vacinas para a população.

Bolsonaro é de uma ignorância gritante. Como Chefe de Estado, seu negacionismo científico é criminoso e está custando vidas. Possui capacidade zero de empatia com as vítimas: a cada comentário sobre a pandemia, destila ironia e finge que o problema não é dele, demonstrando características de um sociopata.

Se ele falava em matar 30 mil pessoas antes de assumir, podemos afirmar, infelizmente, que ele já cumpriu essa meta por mais de nove vezes. E precisamos dizer, decididamente, que o Brasil não pode continuar com um genocida como Presidente.

Já passou da hora do Basta. Bolsonaro já cometeu dezenas (senão centenas!) de crimes de responsabilidade desde que assumiu o governo. Motivos para o impeachment e até para a cassação da chapa não faltam. O fascista balança no cargo, mas não cai. Qual a razão disso?

A razão é o alinhamento econômico de Bolsonaro com a pauta das elites e a blindagem política que ele comprou por R$ 3 bilhões junto ao Centrão. Enquanto Paulo Guedes estiver rezando a cartilha neoliberal da burguesia e dos latifundiários do país; e enquanto o Centrão estiver bem acomodado com cargos em Ministérios e empresas estatais; o mandato de Bolsonaro seguirá de pé – mesmo que com o pé em cima de 270 mil vítimas!

A classe trabalhadora vê seus direitos dilapidados dia após dia. Vê seu poder de compra diminuir. Vê seus salários cortados, congelados, sem aumento real e perdendo poder de compra. E escuta de Bolsonaro uma tentativa de cooptação com discursos demagógicos e mentirosos, sem nenhum fundamento, ao estilo “cortei seu salário para te proteger”.

Não nos resta outro caminho que não seja o da luta. Precisamos lutar pela manutenção dos nossos direitos que estão sob ataque; pela revogação das Reformas Previdenciária (EC 103/2019) e Trabalhista (Lei 13467/2017); contra a PEC Emergencial (PEC 186/2019) e a Reforma Administrativa (PEC 32/2020); pela ampliação dos serviços públicos e extinção do Teto dos Gastos (EC 95/2016); pelo aumento real dos salários; por programas estatais de geração de emprego e renda; pelo direito ao isolamento social até que hajam condições sanitárias de retomarmos a vida como era antes.

Precisamos lutar para estar vivos, pois a elite nos quer mortos. E hoje, lutar por tudo isso, pode ser sintetizado numa única luta: a luta pelo Fora Bolsonaro e Mourão!

Conteúdo relacionado