Movimentos, entidades e partidos políticos protocolam pedido popular de impeachment de Bolsonaro

Compartilhar

Mais de 450 movimentos sociais e entidades protocolaram, ao lado dos partidos PCB, PCdoB, PSOL, PT e UP, o maior e mais representativo pedido de impeachment do presidente Jair Bolsonaro, em ato político realizado na Câmara Federal nesta quinta-feira (21/05).

Busca por mais adesões

Os três partidos que apresentaram a ação (PCdoB, PSOL e PT) seguem buscando o apoio dos demais partidos de oposição para se somarem à iniciativa mais expressiva até o momento para colocar um ponto final no desastroso governo Bolsonaro.

Argumentações do pedido

A lista de crimes e ilegalidades cometidas por Jair Bolsonaro e que são usadas no pedido de impeachment popular é extensa. Entre os crimes estão a convocação e comparecimento nos atos contra a democracia e pelo fechamento do Congresso e do STF; a interferência nas investigações da Polícia Federal no Rio de Janeiro; a falsificação da assinatura de Sergio Moro na exoneração de Maurício Valeixo do comando da Polícia Federal; e as declarações durante a reunião ministerial de 22 de abril.

Também estão nas argumentações do pedido de impeachment os seus discursos atentando contra o STF, a convocação de empresários para a “guerra” contra governadores no meio da pandemia, o bloqueio da compra de respiradores e outros equipamentos de saúde por estados e municípios, o apoio à milícia paramilitar conhecida como “Acampamento dos 300”, a incitação de uma sublevação das Forças Armadas contra a democracia brasileira, além de seus pronunciamentos e atos durante a pandemia que configuram crimes contra a saúde pública.

É uma longa lista de crimes contra o livre exercício dos poderes constitucionais, contra o livre exercício dos direitos políticos, individuais e sociais, contra a segurança interna do país e contra a probidade administrativa.

Quem assina

Entre os movimentos que assinam o pedido estão o MTST, a Apib, a CMP, o MNU, a Antra, os Policiais Antifascismo e as Católicas pelo Direito de Decidir. Entre os sindicatos estão Andes-SN, Asfoc-SN, Condsef, Fasubra Sindical, Fenasps e SINASEFE.

Conteúdo relacionado

*Com informações do Esquerda Online